sábado, 16 de dezembro de 2017

URGENTE: Procurador faz apelo para acabar com a blindagem dos corruptos, o Foro Privilegiado!




Observando atentamente o Twitter do Senador e presidenciável Álvaro Dias, deparei-me com este apele desesperado do promotor Carlos Fernando no tocante à impunidade do STF, faz apelo para que seja aprovado a PEC 333/2017 do forro Privilegiado de autoria do citado senador que acabaria com à blindagem, tendo em vista as formas como são julgados quando se refere a parlamentares e funcionários. 

Carlos é um dos procuradores da Operação Lava-Jato, o trabalho ostensivo e incansável para combater os desvios e desmandos no financiamento de campanha, o Caixa 2, Mensalões que encareceram à política. A dificuldade em aprovar se dar por que a maioria estão envolvidos em escândalos, sem uma pressão da sociedade, não será colocada em votação nem tão cedo! 

O que esperar de um câmara de deputados que dilapidou as 10 de medidas contra a corrupção? Deixo a resposta com o cidadão que deve fazer sua parte, banir da vida pública todos os envolvidos, não reelegendo/elegendo indiciados, precisamos desconstruir esse modelo ultrapassado de gestão. Faxina geral, #Tchauqueridos. 




PT, governo de pobres? Banqueiros ou ditadores?


Depois do “gopi” Venezuela, Nicarágua e Equador se apressaram em romper relações diplomáticas com o Brasil. Estes escândalos não vem de agora, de 1998 pra cá os investimentos fora do país não pararam. A postagem a seguir foi extraída do portal Poder 360 e detalha o rombo. Confira o trecho da matéria e tire as conclusões! Será mesmo que o pobre foi prioridade ou foi usado para chegar o poder? Ainda não foi aberta a caixinha de pandora, entenda que a corrupção destruiu nosso país e algo tem que ser feito, por isso, antes de falar mal da lava-jato veja o montante que foi devolvido até agora entenda por que o governo Temer insiste em fazer o desmonte, com o indiciamento de desembargadores e gente grande envolvida junto com políticos. Desfazendo os mantras, elite, panela, etc. 

Odebrecht foi a principal beneficiada pelo BNDES em empreendimentos no exterior
Reprodução/Site Odebrecht
atualizado: 01.fev.2017 (quarta-feira) - 9h16
O BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento) financiou R$ 14 bilhões para as principais empreiteiras brasileiras realizarem obras no exterior de 1998 a 2015. Do total, R$ 8,23 bilhões foram na gestão de Dilma Rousseff. O levantamento contou os valores nominais envolvidos, ou seja, sem corrigir a inflação do período.
Poder360 apurou os empréstimos concedidos a Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, OAS, Odebrecht e Queiroz Galvão no modelo pós-embarque, denominação do BNDES para os financiamentos na área de exportação. O montante faz parte do total aprovado. Os recursos são desembolsados de acordo com o cronograma de cada obra. financiamento-bndes
Constam da base de dados do banco transações feitas desde 1998. Antes de 2003, porém, elas eram menos significativas tanto em quantidade quanto em valores. Apenas Odebrecht e Andrade Guitierrez tiveram acesso a esses recursos no período. Emprestaram do BNDES, respectivamente, R$ 402,5 milhões e R$ 129 milhões.
A partir de 2003, as quantias se avolumaram, aumentando principalmente no governo Dilma.
A Odebrecht foi a maior beneficiada, com R$ 9,78 bilhões em empréstimos. De 2003 a 2010, foram cerca de R$ 3,15 bilhões em financiamento. Com Dilma no Planalto, a cifra chegou a R$ 5,7 bilhões. A empresa atuou em 9 países: Angola, Argentina, Equador, Guatemala, México, Moçambique, Peru, República Dominicana e Venezuela.
Com informações: PODER 360

Partidos vão dar prioridade à reeleição na divisão de fundo



BRASÍLIA - Líderes dos dez maiores partidos ouvidos pelo Estadão/Broadcastpretendem direcionar os recursos eleitorais em 2018 para campanhas de candidatos que já tenham mandato político. Além disso, também devem priorizar o espaço da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV para caciques partidários e candidatos conhecidos em seus redutos.

Com recursos limitados – o fundo eleitoral terá R$ 1,7 bilhão – e um período menor de propaganda gratuita, os partidos avaliam que precisam concentrar a estratégia em quem já é conhecido para garantir a eleição. A tática vai na contramão da expectativa de que as novas regras eleitorais, aprovadas no fim de setembro no Congresso, pudessem acelerar uma renovação na política.

O cenário começou a se desenhar nesta semana, com a aprovação do Orçamento da União de 2018, que manteve o atual montante de recurso público destinado a financiar as campanhas. Sem perspectiva de aumentar esse valor, as maiores legendas já começaram a discutir como vão dividir o bolo internamente. Partidos como PT, PSDB, PSB, PDT e DEM vão priorizar aumentar suas bancadas para a próxima legislatura.
Crédito da matéria:
O ESTADÃO/Foto reprodução Facebook

Quando o silêncio brada mais alto do que o grito!

Resultado de imagem para o preço da corrupçãoComo pode o silêncio romper o som do grito? Pensadores incomodam, seja quando falam, escrevem ou simplesmente silenciam! Governos corruptos detestam gente que pensa! O país vive sobre um clamor de corrupção. Antes de exterminar os ratos, é preciso encontrar à causa da corrupção, porém já se conhece o que há por trás de ideologias, o modus operandi de fazer política. A arte de fazer o bem em detrimento das riquezas construídas pela profissão de ser político!

Em outro sentido, o silêncio significa conivência, quem cala consente, diz o famoso jargão! Hora de todos os brasileiros saírem dessa hibernação, entraremos num caos generalizado, aparelhamento da corrupção em todos os seguimentos da sociedade, acorda, Brasil! 

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Voto-Faxina, recomendações aos eleitores, por Doutor Modesto Carvalhosa

Paulistano, Modesto Carvalhosa vive no mundo do direito desde 1953, estudou na Universidade do Largo de São Francisco, aos 21 anos, em seguida, concluiu o curso de Doutorado na USP e o curso de pós-doutorado em Camerino na Itália, foi professor de direito comercial no Makenzi e na faculdade em que se formou. 

Com este currículo invejável, Modesto Carvalhosa, jurista de respeito também entrou esta semana com um recurso pela Impressão do Voto. Para Carvalhosa, é preciso banir da política a figura do político profissional. 

O programa foi exibido pelo programa Roda Viva, clique AQUI  e assista. O voto faxina é uma forma de erradicar a corrupção e falou também sobre o foro privilegiado, de candidaturas independentes, desconstruindo esse modelo arcaico de fazer política, com fundo partidário, campanhas cada vez mais caras.

Fonte: Canal Roda Viva! 

Temer, o balconista!

Resultado de imagem para michel temer e os cabides de empregosAs reformas necessárias ao país tem um preço para o bolso do povo brasileiro. Mexe nas estruturas, afinal, desde a votação do Impeachment pagamos caro para manter um presidente acusado de chefiar a maior quadrilha já vista neste país. Um dos “chefes” está para ser condenado, o outro presidente!’
Mais importante do que a reforma da previdência seria estancar esta sangria, ora, governabilidade e fisiologismo são as mesmas coisas. Quanto custará em emendas, empregos e vantagens aos deputados? O que justifica mexer nos direitos dos trabalhadores? A palavra fisiologismo significa cabides de empregos, ofertas de ministérios e só no governo Temer, 2 mil puxadinhos.
A política é um balcão de negócios, temos um supermercado cheio de Deputados e Senadores em promoção, sem uma reforma que atenda os interesses do povo, sem alternância de poder os políticos profissionais apenas se perpetuam nos cargos.

E aí, Meireles, quer um conselho? Redução de ministérios, cargos comissionados! Menos governo, menos partidos, mais cidadãos! 

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

No Irã corruptos são condenados, no Brasil são deputados!

A imagem é forte, como Cristão não defendo pena de morte, embora ela não acabou no país. Milhares de jovens morrem no país por falta de campanhas de prevenção, tratamento e repressão às drogas. Isso não choca você? Bandido bom é bandido morto, mas, com o diferencial, se for político lhe rouba sem você sentir. Basta uma constituição, terno e gravata. Leva na surdina a Educação, Saúde, Cidadania, Segurança. Isso não lhe choca? Não, a pena de morte não é solução para criminoso, Leis mais duras para quem financia o tráfico, às drogas e o sucateamento na gestão pública. No Irã corruptos são condenados, no Brasil são deputados. Corrupção é sistêmica e vai além dos desmandos dos corruptos. Precisamos urgentemente fazer uma faxina geral.