CPT

CPT - Centro de Produções Técnicas

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Utilidade pública, compartilhe: 10 dicas importantes para não cair no golpe do sequestro via celular!


10 maneiras para evitar cair no golpe do sequestro
Resultado de imagem para sequestro, via celular
1. Conheça os “scripts” mais comuns
Embora varie nos detalhes, a história dos golpistas é sempre a mesma. Acompanhe as notícias sobre os golpes para se manter informado sobre as novas versões (veja os mais comuns na pág. 40)
2. Não receba ligações a cobrar
Se o interlocutor for desconhecido, desligue. Policiais e bombeiros não telefonam para informar sobre acidentes (a tarefa cabe aos hospitais) nem, muito menos, ligam a cobrar
3. Não ajude o bandido dando-lhe informações
– Sua filha sofreu um acidente.
– A Fernanda? O que aconteceu com a Fernanda?
O nervosismo faz com que muita gente, sem perceber, acabe passando aos bandidos informações que serão usadas para pressioná-las. Em nenhuma hipótese revele nomes de parentes a desconhecidos ao telefone
4. Tire os adesivos do carro
Adesivos com o nome da academia de ginástica ou da faculdade, assim como placas que reproduzem o apelido dos motoristas (BIA, LEO etc.) e páginas no Facebook são preciosas fontes de informação para os bandidos. Evite e peça aos seus filhos para evitar
5. Oriente também os idosos
Tanto ou mais do que crianças e empregadas, são as pessoas idosas da família as mais vulneráveis à manipulação dos bandidos. Muitas vezes, por se sentirem sozinhas, elas podem prolongar conversas com desconhecidos e acabar por municiar criminosos
6. Pare para raciocinar
O pânico diante da possibilidade de um parente estar acidentado ou sequestrado faz com que muitas pessoas deixem de tomar atitudes óbvias, como checar se a informação é verdadeira. Segundo a polícia, frequentemente as vítimas deixam de ligar para o suposto sequestrado não porque são impedidas de fazê-lo, mas porque a ideia não lhes ocorre

7. Desobedeça ao bandido

Ligue para o suposto sequestrado ainda que o bandido diga para não fazê-lo. Se conseguir contato, o caso está resolvido. Se não, tente um amigo ou parente dele. A hipótese de um sequestrador real fazer essa ameaça é remota – bandidos não vão matar a vítima, e perder seu trunfo, só porque o celular dela tocou
8. Desconfie de ligações longas
Segundo estatísticas da polícia, 90% dos primeiros contatos telefônicos feitos por sequestradores reais duram menos de um minuto. Por temerem ser rastreados, eles nunca fazem ligações longas
9. Duvide do choro das vítimas
Apelos chorosos de supostos sequestrados têm sido usados com frequência pelos golpistas. A polícia sabe que raramente sequestradores de verdade telefonam do mesmo lugar em que está a vítima. Sabem que podem ser rastreados e ter o cativeiro descoberto
10. Dê queixa na polícia
Se você cair no golpe, não deixe de prestar queixa na polícia. De posse de informações como o número de origem da chamada criminosa ou o número da conta em que o “resgate” foi depositado, a polícia pode identificar o criminoso e evitar que mais pessoas sejam vítimas dele

Fontes: Veja on-line via LISTA 10

Misteriosa placa de chumbo ‘pode conter a primeira menção escrita de Jesus Cristo’

Um misterioso conjunto de placas de chumbo pode conter a primeira menção escrita de Jesus Cristo, depois que se provou que elas têm mais de 2.000 anos de idade.
Ver as imagens
(Foto David Elkington)
As placas foram encontradas por um beduíno, em 2008, numa caverna na Jordânia. Elas são feitas de folhas de chumbo mantidas juntas como um fichário.
Muitos especialistas têm rejeitado a descoberta, alegando que seriam falsas, mas o autor David Elkington diz que elas não são apenas reais, mas mostram que Jesus não estava começando uma nova religião, estava restaurando uma tradição milenar, da época do rei David.
Elkington afirmou que as placas podem ser a maior descoberta da história cristã, um registro feito pelos seguidores de Jesus décadas após sua morte.
Um teste feito por pesquisadores da University of Surrey mostraram que as placas são compatíveis com outros achados da época, descobertos em uma escavação em Dorset.
Os pesquisadores escreveram que ela “não mostra a radioatividade decorrente do polônio, que normalmente é vista em amostras mais modernas, indicando que as placas foram fundidas há mais de 100 anos. 
Ver as imagens
(Foto David Elkington)
Embora possa haver variações na deterioração e corrosão, que dependem das condições ambientais nas quais os objetos foram armazenados ou ocultados, há um forte indício de corrosão no interior do metal, que está oxidando e se rompendo a nível atômico, para retornar ao seu estado atual.
Isso não é testemunhado em objetos de chumbo há vários séculos. Não é possível reproduzir o fenômeno através de uma aceleração artificial (o aquecimento, por exemplo).
Ver as imagens
(Foto David Elkington)
Isso fornece fortes evidências de que os objetos são muito antigos, de uma época consistente com os estudos dos textos e desenhos que sugerem uma idade aproximada de 2.000 anos.

Moro diz ser ‘lamentável’ ação de Lula contra PF

(Foto: Banco de Dados)(Foto: Banco de Dados)
“Lamentável que autoridades públicas, no exercício de seu dever legal, fiquem sujeitas a retaliações por parte de investigados ou acusados que confundem o exercício do dever funcional com ilícitos.” Assim o juiz federal Sérgio Moro, dos processos em primeira instância da Operação Lava Jato, deferiu acesso à Advocacia-Geral da União, em despacho desta quinta-feira, 8, para que ela defenda a Polícia Federal em ação movida pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (foto), contra a equipe de investigações do caso Petrobras.
O próprio Moro é alvo de uma ação movida pela defesa de Lula por abuso de autoridade.
Lula foi indiciado pela PF em julho e é alvo de pelo menos outros quatro inquéritos da Lava Jato em Curitiba. Sua defesa moveu ação de indenização contra o delegado Filipe Hille Pace, em que cobra R$ 100 mil por danos morais. O petista pede reparação pela associação de seu nome ao “Amigo”, identificado nas planilhas de propinas da Odebrecht.
No despacho, o juiz da Lava Jato informa que a autoridade policial comunicou o juízo que Lula, por meio de seus advogados de defesa, moveram ação de indenização contra um delegado “em decorrência de atos praticados no exercício de sua função”. A ação nº 1027158-14.2016.8.26.0564 tramita na 5ª Vara Cível, em São Bernardo.
A AGU, que assumiu a defesa da equipe da Lava Jato, pediu acesso a dois procedimentos criminais sob a guarda de Moro.
“O interesse público reclama o deferimento do requerido para que a defesa da autoridade policial não fique prejudicada, já que a demanda não é apenas contra ela, mas também contra o serviço policial federal”, registra Moro, em seu despacho, em que deferiu acesso à AGU, aos autos.
Danos morais
A defesa do ex-presidente Lula quer que o delegado da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba pague ao petista R$ 100 mil por danos morais após afirmar, no relatório de indiciamento do ex-ministro Antonio Palocci, que o codinome “Amigo” na planilha de propinas encontrada com executivos da Odebrecht seria uma referência ao ex-presidente.
“O réu inseriu em documento público afirmação ofensiva e mendaz relativa ao autor – sobre tema que sequer estava sob sua esfera funcional”, assinalam os criminalistas Roberto Teixeira, Cristiano Zanin Martins, Maria de Lourdes Lopes e Mauro Roberto G. Aziz, que defendem o petista.
“Tal fato teve grande repercussão em São Bernardo, onde reside o autor, assim como em todo Brasil e no exterior”, segue a ação.
Pace indiciou Palocci em outubro, o ex-presidente da Odebrecht Marcelo Odebrecht e outros quatro investigados por corrupção no inquérito da Lava Jato que apura se o ex-ministro teria atuado para beneficiar a empreiteira no governo federal.
“Luiz Inácio Lula da Silva era conhecido pelas alcunhas de ‘Amigo de meu pai’ e ‘Amigo de EO’, quando usada por Marcelo Bahia Odebrecht e, também, por ‘Amigo de seu pai’ e ‘Amigo de EO’, quando utilizada por interlocutores em conversas com Marcelo Bahia Odebrecht”, diz o relatório do delegado.

Zenaide Maia comemora liberação de emenda para Unidade Hospitalar Regional do Seridó

A deputada federal Zenaide Maia recebeu na tarde desta quinta-feira (08), em Brasília, a notícia da liberação de emendas impositivas do ano de 2015. Dentre as emendas liberadas está a de R$ 1.000.000,00 (Um milhão de reais), destinada para a Unidade Hospitalar Regional do Seridó. 

A boa notícia foi comemorada por Zenaide Maia já que o objetivo da ação é para aquisição de equipamento e material permanente para unidade de atenção especializada de saúde. A emenda já está disponibilizada através do Fundo Estadual de Saúde.

“A liberação é uma grande vitória para as Saúde da Região que necessita de investimentos e trabalhamos por isso”, comemora Zenaide Maia.

Mais emendas serão liberadas e destinadas para outras regiões do Rio Grande do Norte. 

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

PRODUTORES RURAIS DA CIDADE DE NOVA FLORESTAS RECEBERAM NA MANHA DESTA QUINTA-FEIRA (08) A VISITA DE AGRICULTORES DO ESTADO DO ACRE.

Na manhã desta quinta-feira (08) produtores rurais da cidade de Nova Floresta receberam a visita ilustres de uma caravana de agricultores do estado do Acre que estavam acompanhados pelo Agrônomo Nilton Novais e pelo Gerente do Sebrae "Ney". A visita foi fruto do trabalho realizado pela casa do empreendedor de Nova Floresta em parceria com Sebrae entre os anos de 2013 e 2015 quando tivemos como AD (Agente de desenvolvimento), Genieres Ferreira trabalho este marcado por parcerias entre associações, produtores rurais e casa do empreendedor, foi reconhecido nacionalmente. 
Os produtores rurais de Nova Floresta atualmente sofrem com a estiagem, porém se sobressaem de uma forma inacreditável, tendo sucesso em sua produção.

O intuito da visita foi realmente mostrar a forma como estes produtores Florestense conseguem driblar este estiagem, trazendo um conhecimento único para produtores rurais das cidades do Acre.
"O reconhecimento do trabalho realizado é o que me deixa mais prazeroso e que me faz acreditar que cada vez mais o trabalho coletivo faz toda a diferença" obrigado Afrunof Nova Floresta, Sebrae Paraíba nas pessoas de Heloísa Mirelli e Nilton Novais ao gerente do Sebrae do Acre meu amigo Ney e a Fátima Dantas por ter acreditado no meu potencial." Obrigado meu Deus por ainda está colhendo os frutos de um bom trabalho realizado. Trabalhe pesado e em silêncio e deixe que o resultado faça barulho. Fernando Viel.

A justiça é uma puta de luxo, só os poderosos tem preferência!

Resultado de imagem para justiça puta de luxo
Qualquer alusão deste clichê ao STF é mera coincidência! Vergonha nacional, juízes incapazes de fazer justiça. O episódio envolvendo o julgamento entre o STF e o Senador Calheiros enfraqueceu o estado democrático de direito. Triste constatação, o povo decepcionado com políticos e com o Supremo Tribunal Eleitoral. À justiça é uma puta de luxo, só os poderosos tem preferência. Parafraseando Platão: "O juíz não é nomeado para fazer favores com à justiça, mas para julgar segundo as leis. 

Prefeito Gilson, Araidson, vereadores serão diplomados dia 14 de dezembro!



É inegável o carisma e carinho para com os jovens futuros administradores da "Terra da Música". Dia 14 serão diplomados o prefeito eleito Gilson Dantas, (PMDB), vice-prefeito Araidson Simões (PROS), vereadores eleitos e suplentes. Os problemas de nossa cidade são maiores do que uma disputa política, ora de dar as mãos e seguir em frente, buscando à paz, a harmonia, justiça e equidade planejando um novo tempo para todos os Carnaubenses. 

Clima segue instável, confira a previsão do tempo até domingo!



O fenômeno El Niño, palavra em espanhol que significa "O menino", alusão ao nascimento de Jesus, ocorre nos meses que antecede o Natal. Apesar do fenômeno que causa secas está no Nordeste há quase 05 anos e chegar o "La Niña", que significa "A menina" o clima segue seco. De acordo com o site CLIMA TEMPO, à previsão segue sem muita novidade. 

Festival ANCORÁ 2016 tem início nesta quinta-feira

Evento acontece em Cerro Corá até sábado (10) com mostras competitivas de audiovisuais e o acesso é gratuito

Quer uma boa dica para viajar e ainda aproveitar um lindo festival de audiovisual? Prepare a pipoca e reserve o seu lugar. A terceira edição do Festival ANCORÁ – Curta Ambiental Nordeste Cerro Corá tem início a partir desta quinta-feira (08) e segue até o dia 10 de dezembro no município de Cerro Corá. Este ano, o Festival se inspirou na Campanha da Fraternidade 2017 e vai trabalhar sob a temática “Biomas Brasileiros”. Todo o acesso ao evento é gratuito e será realizado no Cine Canário, com premiação na Praça Central.

Durante o Festival, o público acompanha duas mostras competitivas, sendo elas: a Mostra de Curtas Ambientais do Brasil, compostas de filmes produzidos em qualquer lugar do país; e a Mostra de Curtas Ambientais Estudantil de Cerro Corá, composta por filmes produzidos por estudantes cerro-coraenses. Os ganhadores das Mostras recebem a premiação em dinheiro. 

O III ANCORÁ traz também debates entre organizadores, profissionais da área e espectadores, incluindo crianças, estudantes e adultos, além da Mostra Cine Rural que leva cinema e entretenimento à população. O Festival é um projeto da CASU Filmes e ONG Navima. Nesta edição conta com o patrocínio da Força Eólica do Brasil, que é uma Joint Venture da Neoenergia com a Iberdrola e com o apoio da Prefeitura Municipal de Cerro Corá, do Sebrae/RN, da Pousada Colina dos Flamboyants e da Água Mineral Santa Clara.

Programação completa na página do Facebook: Ancorá - Curta Ambiental Nordeste Cerro Corá.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

STF, corte acovardada! Desmoralização de quem deveria dar exemplo!

O assunto que está bombando nas redes sociais é a covardia do STF. Corte acovardada diante do que poderia fazer justiça e não o fez! Isso demonstra à força política do coronelismo, Renan Calheiros saiu fortalecido e à democracia derrotada. Vergonha é, talvez, um dos sentimentos para resumir a situação de um país sucumbido em escândalos, desvios e desmandos.

STF mantém Renan no comando do Senado, mas o proíbe de assumir Presidência


Em julgamento, seis ministros rejeitaram liminar do ministro Marco Aurélio Melo para retirar Renan Calheiros da presidência do Senado; três votaram pelo afastamento imediato.
Por seis votos a três, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou em julgamento nesta quarta-feira (7) o afastamento de Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado.
Seis dos nove ministros presentes ao julgamento votaram pela derrubada da decisão liminar (provisória) do relator do caso, Marco Aurélio Mello, proferida na última segunda (5). O ministro havia determinado o afastamento de Renan Calheiros, ordem que não foi cumprida pela Mesa do Senado.
O primeiro a votar contra o afastamento foi o ministro Celso de Mello. Para o ministro, caso se tornem réus, presidentes do Senado, Câmara e STF não podem substituir temporariamente o presidente da República.
Mas, em vez de afastá-los do cargo – como recomendou Marco Aurélio –, caberia apenas exclui-los da linha sucessória, impedindo-os de assumir a chefia do Executivo em caso de ausência do titular.
“Os agentes públicos que detêm as titularidades funcionais que os habilitam constitucionalmente a substituir o chefe do Poder Executivo da União, em caráter eventual, caso tornados réus criminais perante esta Corte, não ficarão afastados dos cargos de direção que exercem na Câmara, no Senado ou no Supremo Tribunal Federal. Na realidade, apenas sofrerão interdição para exercício do ofício eventual e temporário de presidente da República”, afirmou Celso de Mello.
Acompanharam o mesmo raciocínio os ministros Dias Toffoli, Luiz Fux, Teori Zavascki, Ricardo Lewandowski e a presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia.
Embora tenham acompanhado o voto majoritário, Zavascki e Lewandowski fizeram a ressalva de que uma medida do tipo só poderia ser proferida após o final do julgamento de mérito da ação sobre a linha sucessória da Presidência da República – interrompida em novembro a pedido de Toffoli. Na sessão desta quarta, estava em análise somente a decisão liminar relacionada a Renan Calheiros.
Em favor do afastamento votaram Marco Aurélio Mello, mantendo sua posição, e os ministros Edson Fachin e Rosa Weber.

Fonte: G1 Brasília/jornalista Por Renan Ramalho e Fernanda Calgaro

Sobre os escândalos do Senador Renan Calheiros...O povo de Alagoas tem a resposta!



Depois de está envolvido em tantos escândalos, de renunciar e retomar o poder quem tem a parcela de culpa? O povo da linda Alagoas que me desculpe, tem a parcela de culpa. 

Escândalos made by Renan:

Escândalos
Confira em que escândalos esse personagem se envolveu – e sua participação em cada um
  • Atos Secretos
    • Envolvimento
      No centro do escândalo, José Sarney (PMDB-AP) tentou dividir a responsabilidade pelos atos secretos mostrando que seus antecessores no cargo de presidente do Senado também se valeram do expediente. Entre eles, Renan Calheiros (PMDB-AL) apareceu como o recordista de atos secretos: 260 de 663 atos tabelados, incluindo a criação de cargos e nomeações em favor de aliados.
      O que aconteceu
      O ex-presidente do Senado manteve silêncio sobre o caso e, como Sarney, resistiu a mais esta leva de denúncias. Foi reeleito senador em 2010 e, três anos depois, alçado por seus pares à presidência da Casa.
      Atualizado em 01/02/2013
  • Renangate - Caso do laranjal alagoano
    • Envolvimento
      Em 1998, Renan Calheiros planejava se candidatar ao governo de Alagoas, mas sabia das resistências de um ex-aliado, o ex-presidente Fernando Collor, que lhe fazia oposição por meio de suas emissoras de rádio, TV e do maior jornal do estado, a Gazeta de Alagoas. VEJA revelou em 2007 que Renan tentou montar sua própria rede de emissoras a partir das outorgas de concessões públicas garimpadas em Brasília. Por meio de contratos de gaveta, comprou duas emissoras de rádio e um jornal em nome de laranjas e em sociedade oculta com o usineiro João Lyra, sogro de Pedro Collor. Os pagamentos foram feitos com dinheiro vivo, parte em dólar, parte em real.
      O que aconteceu
      A sociedade secreta com Lyra durou de 1999 a 2005. A partir daí, Renan e Lyra tornaram-se adversários. Quando o caso veio à tona, Renan tentou desqualificar o usineiro, dizendo que ele responde a diversos processos e que fez as denúncias motivado por ressentimento. Segundo a versão do senador, ele recebeu de fato a proposta de venda de um grupo de comunicação e apenas a encaminhou a João Lyra. O caso levou Renan pela segunda vez a julgamento em plenário. O senador foi outra vez absolvido por seus pares. Na mesma sessão, deixou a presidência da Casa. Mas ainda não se livrou da Justiça. É alvo de inquérito no STF, que corre em segredo de Justiça.
      Atualizado em 17/04/2012
  • Renangate - Caso Mônica Veloso
    • Envolvimento
      Ao longo de 21 meses, o senador e então presidente da Casa, Renan Calheiros, pagou 400 000 reais de pensão à jornalista Mônica Veloso, através do lobista de uma empreiteira, segundo perícia da Polícia Federal. Renan reconheceu que usou os serviços do lobista, mas disse que o dinheiro lhe pertencia e mostrou suas declarações de renda para comprovar renda advinda da pecuária.
      O que aconteceu
      O caso levou ao primeiro processo no Conselho de Ética contra Renan. O senador afastou-se da Presidência, mas escapou da cassação - duas vezes -, em votação secreta. Para tanto, contou com a ajuda do governo e não mediu esforços para constranger e chantagear aliados e adversários. Embora absolvido pelos pares, Renan não se livrou da Justiça. Em 2010, o STF aceitou pedido da Procuradoria-Geral da República e abriu inquérito para investigar o senador por improbidade administrativa e tráfico de influência. O caso corre sob segredo de Justiça e tem como relator o ministro Ricardo Lewandowski. Em 2011, o Ministério Público Federal em Brasília abriu inquérito para apurar o pagamento da pensão alimentícia da filha de Renan pelo lobista Cláudio Gontijo. Em janeiro do ano seguinte, o MP encaminhou uma denúncia ao STF contra o senador pelos crimes de falsidade ideológica, uso de documentos falsos e peculato. De acordo com o parecer, Renan apresentou, em 2007, notas fiscais frias relacionadas à venda de bois. O parecer da promotoria fora pedido pelo próprio Supremo. Em fevereiro de 2013, foi alçado por seus pares à presidência do Senado.
      Atualizado em 01/02/2013
  • Renangate - Caso Schincariol
    • Envolvimento
      VEJA revelou que a Schincariol comprou uma fábrica da família de Renan por um preço exorbitante. Em troca, o senador pressionou para que a Receita e o INSS não executassem os débitos fiscais da cervejaria.
      O que aconteceu
      O caso levou à abertura do segundo processo contra Renan no Conselho de Ética, mais tarde arquivado.
      Atualizado em 17/04/2012
  • Renangate - Golpe no INSS
    • Envolvimento
      Conforme depoimento de Bruno Lins, seu padrinho de casamento, o senador Renan Calheiros, negociou com aliados do PMDB uma maneira de beneficiar o banco BMG no serviço de concessão de crédito consignado para os aposentados da Previdência. Em troca, o banco pagou propina aos envolvidos.
      O que aconteceu
      A revelação provocou a abertura do quarto processo contra Renan no Conselho de Ética, depois arquivado. Até hoje não se sabe como o BMG conseguiu construir uma carteira de empréstimos consignados de fazer inveja às grandes instituições financeiras. A oposição tentou criar a CPI do Crédito Consignado, mas ela nunca foi instalada.
  • Fonte: VEJA

Suíça investiga bancos por corrupção no Brasil e Malásia

Bandeira da Suíça
Genebra – As autoridades suíças informaram que estão investigando diretores dos bancos usados por ex-diretores da Petrobras, Odebrecht e outros casos relacionados com a Operação Lava Jato.
A informação faz parte do relatório do Grupo de Ação Financeira Internacional (Gafi), publicado nesta quarta-feira, 7, que afirma que o “caso Petrobras” pode ter resultado em perdas “bilionárias” ao Brasil.
Num informe de quase 300 páginas sobre a situação na Suíça, o Gafi dedicou parte de sua avaliação ao caso específico da Petrobras.
Mas deixou claro que os bancos suíços não têm informado ainda de forma suficiente sobre atividades suspeitas de seus clientes e apontando falhas nos controles de operadores e intermediários.
Depositário de mais de US$ 6 trilhões, os bancos suíços ainda não estariam agindo de forma suficiente para lidar com a lavagem de dinheiro.
O Gafi é quem elabora padrões globais de combate à corrupção, adotados por 180 países e que, de forma periódica, avalia os diferentes países na sua luta contra a lavagem de dinheiro e mesmo financiamento do crime.
Segundo a entidade, o que se verificou foi uma “corrupção de larga escala resultando em perdas que somam milhões, senão bilhões de francos suíços” ao Brasil.
Ao lado da Operação Lava Jato, outro caso que tem chamado a atenção das autoridades é do fundo soberano malaio, o 1MDB.
De acordo com o informe, porém, “a Suíça indicou que seis processos foram recentemente abertos contra bancos, assim como seus diretores, envolvidos nos casos 1MDB e Petrobras”.
Em outubro, o jornal O Estado de S. Paulo havia revelado que um total de 24 bancos haviam sido alvos de um exame por parte da Agência Supervisora do Sistema Financeiro da Suíça (Finma).
Mas, segundo o Gafi, não apenas as instituições estão sob a lupa das autoridades, mas seus próprios diretores-executivos. Ao longo dos anos, a punição contra lavagem de dinheiro na Suíça tem se limitado a multas aos bancos e raramente seus diretores são responsabilizados diretamente.
A instituição, porém, também apontou falhas nos controles dos bancos para identificar clientes que possam estar cometendo crimes, assim como um controle limitado sobre operadores e intermediários de contas, justamente o mecanismo usado pelos ex-diretores da Petrobras e da Odebrecht para pagar propinas.
Para o Gafi, os bancos têm tomado cuidado com novos clientes. Mas não adotam o mesmo controle em relação aos mais antigos. “Bancos não fazem uma revisão suficiente e não atualizam dados sobre clientes existentes”, alertou o grupo. “Isso pode levar a falhas para identificar clientes que possam ter transações suspeitas”, constatou. “A implementação de medidas de due diligence com clientes já existentes não é sempre satisfatória”, apontou.
Outro alerta da entidade internacional é que bancos têm relatado às autoridades um número ainda baixo de suspeitas de transações suspeitas. As instituições financeiras, segundo o Gafi, têm entregue os nomes de suspeitos apenas depois que casos são públicos ou descobertos pela Justiça. Pela lei, os bancos são obrigados a relatar transferências suspeitas.
Trusts
Outra constatação é de que os suíços tampouco tem obtido bons resultados no controle de beneficiários de trusts, mecanismo usado pelo ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para camuflar seus recursos na Suíça.
O governo suíço reconheceu que precisa melhorar. Num comunicado de imprensa, a Secretaria de Assuntos Financeiros indicou que o Gafi “criticou certos aspectos do monitoramento de intermediários financeiros e a cooperação internacional do Escritório de Combate à Lavagem de Dinheiro”.
“A aplicação de medidas preventivas pelos intermediários financeiros precisa também ser melhorada”, indicou. “O número de comunicações de suspeitas é considerada como sendo muito fraca, diante da importância da praça financeira suíça”, admitiu o governo.
Já os bancos tem uma visão diferente sobre a recomendação do Gafi por um maior número de comunicações de suspeitas. “Na avaliação dos bancos, simplesmente aumentar o número de relatórios de atividades suspeitas não vai necessariamente resultar num aumento da eficiência em prevenir a lavagem de dinheiro”, declarou a Associação de Bancos Suíços, sem dar detalhes.
Os bancos ainda alertam que, a partir das recomendações apresentadas pela instituição internacional, eles esperam um “bom senso de proporcionalidade” e que as “especificidades” suíças sejam consideradas.
No caso da Petrobras, o informe da Gafi indica que, num primeiro momento, o Ministério Público suíço recebeu 60 comunicações de suspeitas. O número aumentou significativamente desde 2014. Desde 2014, porém, nove investigações de lavagem de dinheiro foram estabelecidas.
Naquele primeiro momento, pelo menos 300 relações bancárias foram identificadas como suspeitas em 30 bancos suíços, por onde os pagamentos de corrupção teriam transitado. “Os beneficiários das contas, em geral abertos em nome de empresas, eram executivos da Petrobras, donos de empresas subcontratadas, intermediários financeiros e empresas brasileiras e estrangeiras que pagavam propinas”, explicou o Gafi.

O informe também revela que, diante da dimensão da corrupção brasileira passando pelos bancos suíços, o MP em Berna “precisou alocar maiores recursos para a investigação”. No total, os suíços já autorizaram o repatriamento de US$ 190 milhões ao Brasil em relação aos quase US$ 800 milhões bloqueados nos bancos do país europeu.

Fonte: EXAME ABRIL

Vídeo especial – O dia em que Sergio Moro desmascarou Lindbergh Farias


Na TVeja:
“O colunista de VEJA Felipe Moura Brasil comenta e apresenta uma edição especial sobre a resposta do juiz federal Sergio Moro às acusações do petista Lindbergh Farias. Acompanhe!”


Mau desempenho em teste internacional reforça importância de reforma no ensino médio, diz Rogério


Integrante da Comissão de Educação da Câmara, o deputado federal Rogério Marinho (PSDB) chamou a atenção nesta terça-feira (06) para o mau desempenho do Brasil na educação, como mostrou mais um ranking internacional. O tucano alertou que, para o país sair dessa situação, é necessário enfrentar o problema e reconhecer a sua existência. O parlamentar afirma que a reforma do ensino médio é um dos passos a serem dados nesse sentido. A MP que trata desse tema será votada nesta quarta-feira (7) no Plenário da Câmara.

De acordo com os resultados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), o Brasil apresentou uma queda de pontuação nas três áreas avaliadas: ciências, leitura e matemática. O país caiu no ranking mundial: ficou na 63ª posição em ciências, na 59ª em leitura e na 66ª colocação em matemática. O teste foi feito por alunos de 15 anos, a maioria já no ensino médio.

“Isso é resultado dos equívocos que foram cometidos nos últimos 14 anos, notadamente na alfabetização. Há uma disparidade educacional que é acumulada ao longo do tempo e quando chegam ao ensino médio esses adolescentes se deparam com um ensino desinteressante com 14 matérias obrigatórias e cinco matérias transversais”, disse Rogério.

Segundo o tucano, os professores não têm os instrumentos necessários para propiciar um bom ensino. Dessa forma, ele acredita que os alunos se sentem desfocados da realidade. Para ele, o ensino médio não prepara os estudantes para as universidades e nem para o mercado de trabalho. “O primeiro passo é reformar todo o sistema educacional, desde a formação de professores até a alfabetização e os livros didáticos”, ressaltou.

A avaliação foi realizada em 2015 em 70 países. No Brasil, a prova fica sob responsabilidade do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e contou com 23.141 estudantes de 841 escolas, que representam uma cobertura de 73% dos estudantes de 15 anos.

Em cada edição, o Pisa dá ênfase a uma das três áreas. Na deste ano, o foco foi ciências. A nota do país em ciências caiu de 405, na edição anterior, de 2012, para 401 em 2015. Em leitura, o desempenho do Brasil caiu de 410 para 407; já em matemática, a pontuação dos alunos brasileiros caiu de 391 para 377. Cingapura foi o país que ocupou a primeira colocação nas três áreas, com 556 pontos em ciências, 535 em leitura e 564 em matemática.

De acordo com os dados, os resultados dos estudantes em ciências e leitura são distribuídos em uma escala de sete níveis de proficiência (1b, 1a, 2, 3, 4, 5 e 6). Em matemática, a escala vai de 1 a 6. De acordo com a OCDE, o nível mínimo esperado é o nível 2, considerado básico para “a aprendizagem e a participação plena na vida social, econômica e cívica das sociedades modernas em um mundo globalizado”. No Brasil, em todas as três áreas, mais da metade dos estudantes ficaram abaixo do nível 2.

De acordo com Rogério Marinho, existe a necessidade de reformar o ensino como um todo, tanto na formação de professores quanto na metodologia. O deputado ressalta que a educação no Brasil precisa ser levada a sério. Para ele, o governo do presidente Michel Temer dá um passo importante quando envia ao Congresso a reforma do ensino médio. “O fato é que não estamos proporcionando a nossas crianças e jovens qualidade de ensino”, aponta o deputado.