domingo, 19 de janeiro de 2014

TRIBUTO AO POETA MESTRE FRANÇA PELOS TRÊS ANOS DE SUA MORTE

                            Imagem extraída do blog do Totinha

Há três anos, numa madrugada de quarta-feira, Carnaúba dos Dantas perdeu um de seus ilustres moradores, foi encontrar-se com outros mestres, como Felinto Lúcio e Tonheca Dantas. O Poeta, o Músico, o Político, um homem culto lapidado pela universidade da vida. Honesto, sincero, repentista e acima de qualquer coisa, um grande ser humano.


Sim, Mestre França, você deixou saudade, das suas rimas, de seus poemas e do seu sorriso. Esta é uma singela homenagem de alguém que te admirava muito neste plano. Damião Carlos, do Blog Voz do Povo.

Esta postagem ofereço de modo particular a todos os Familiares do Mestre França e Poetas/Poetizas +Ronilda David Loubah Sofia +Helder Gonçalves +Cassinha Medeiros.

Gigante Adormecido (Poesia do poeta Mestre França)

Meu Brasil é preciso eu lhe dizer,
Mesmo sendo no mundo conhecido,
Ainda está um gigante adormecido...
Esperando uma ajuda pra vencer...
Mas se alguém lhe acordar vamos saber,
A potência que tem este Brasil;
Nós veremos o gigante varonil,
Caminhar na estrada do progresso,
E msotrar para todos o universo,
Que estamos na frente após dois mil!.

É o Brasil, o império mineral,
Foi aqui que a divina natureza,
Colocou grande número de riqueza,
E a maior reserva florestal.
É o Brasil, o pulmão universal,
Temos muitos espaços pra chegar...
Por que é que andamos devagar?
Será ordem do poder onipotente?
Ou é falta de mecânico competente,
Que coloque esta máquina pra andar!

Tanto ouro, café e esmeralda,
Água marinha, topázio e diamante,
O petróleo jorrando a cada instante,
Só Brasil é quem tem Serra Pelada.
Porque é que ainda estamos ao pé da escada?
A espera que alguém nos dê a mão;
Tanta riqueza rolando pelo chão,
Sem terremoto, sem vulcão e sem ter guerra,
Caminhamos atrás da procissão!

Com tantas fraudes nos Órgãos da Nação,
Tantas obras que não foram terminadas,
Tantas pessoas com saúde, aposentadas,
Tanto assalto nos cofres da União.
E os corruptos levando o seu quinhão.
E as empresas só pensam em sonegar...
Desse jeito o país não vai chegar.
Na estrada do progresso segue lento.
Com essa carga pesada pra levar.

Dívida externa é quem tem prioridade,
Assaltante é quem é favorecido,
Quem trabalha com fome é esquecido
se recebe, o que ganha é a metade.
Perigoso é andar com a verdade, 
A mentira é o simbolo do respeito;
Só o rico é quem vive satisfeito,
Pois tem tudo na vida a seu favor,
E o pobre cada vez mais sofredor,
Entra governo, sai governo e não dá jeito!

Acredito em você, Brasil amado,
Eu te amo, te adoro e quero bem,
Se soubessem o poder que você tem,
Você era um gigante respeitado,
Muitos outros ficariam ao nosso lado,
Nós undios, formaríamos uma corrente,
Pra mostrar ao gringo prepotente,
Que ninguém ia lá pedir clemência,
E se mostrava que o Brasil tem competência,
Para estar junto a eles lá na frente!
Postar um comentário