DATAHOSTING

Mostrando postagens com marcador Carne. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Carne. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 20 de março de 2017

Tony Ramos fala sobre operação da PF que envolve a Friboi

Créditos: reprodução/Youtube
Tony Ramos em uma das propagandas da Friboi
O ator Tony Ramos se pronunciou nesta sexta-feira, 17, sobre a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, que envolveu uma das empresas para as quais ele fez peças publicitárias.
A marca Friboi pertence à JBS, que foi um dos grande frigoríficos que foram alvo da operação da PF deflagrada hoje.
Segundo investigação, frigoríficos pagavam propina para fiscais do Ministério da Agricultura para que pudessem produzir alimentos sem respeitar critérios de higiene.
“Estou surpreso com essa notícia. Eu sou apenas contratado pela empresa de publicidade, não tenho nenhum contato com a JBS”, esclareceu o garoto-propaganda da Friboi ao site Ego.
“Eu já visitei uma das fábricas, continuo comprando produtos Friboi, eu tenho carnes deles agora no meu freezer e uso nos meus churrascos do fim de semana”, disse o ator, afirmando também que vai entrar em contato com a empresa para saber mais detalhes.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Festival chinês mata 10 mil cachorros para transformar em comida

Foto: ReutersFoto: Reuters

Ocorreu no último final de semana, na China, um dos mais polêmicos festivais do mundo, o Yulin. Culturalmente tradicional no país asiático, ele é extremamente criticado no Ocidente por ter como atração principal a matança de 10 mil cachorros que viram comida para os visitantes.

Cerca de um milhão de pessoas assinaram um abaixo-assinado no site Change.org na tentativa de cancelar o festival. Não deu certo. O que aconteceu, então, foram ações individuais para salvar alguns animais. Uma senhora de 65 anos, por exemplo, comprou 100 animais por US$ 1000 para evitar que eles fossem mortos.

“Matar cachorros por sua carne é algo cruel e além disso é um risco para quem ingere, já que muitos dos animais caçados estão ou podem estar doentes”, afirmou, via representante, a Associação de Proteção de Pequenos Cães da China.

A tradição chinesa de comer carne de cachorro cria polêmica até mesmo dentro do país. Os defensores afirmam que os ocidentais não podem reclamar da existência desse tipo de prática, uma vez que há, por exemplo, consumo da carne de vaca no Ocidente.

Porém, nas redes sociais chinesas, boa parte da parcela mais jovem da população mostra preocupação com o modo como a prática é vista. Isso, no entanto, não muda o fato de que, nos últimos 30 anos, o consumo da carne de cachorro por lá só cresceu — segundo especialistas, acompanhando o enriquecimento do país.

Fonte: Yahoo Notícias

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Vietnã: Caminhão interceptado com 3 toneladas de gatos importados da China para consumo

(Foto: AFP)(Foto: AFP)

Milhares de gatos vivos, importados ilegalmente da China para o mercado vietnamita, foram encontrados pela polícia deste país, dentro de caixas empilhadas em um caminhão, anunciaram autoridades.

A carne de gato, conhecido localmente como o "pequeno tigre", é apreciada no Vietnã, apesar do consumo estar oficialmente proibido.
O caminhão, interceptado na terça-feira, tinha quase três toneladas de gatos. O motorista confessou que comprou os animais na província chinesa de Quang Ninh, perto da fronteira com o Vietnã.

(Foto: AFP)(Foto: AFP)

Aparentemente os gatos estavam destinados aos restaurantes de Hanói, segundo a polícia. "Não sabemos o que fazer com eles, são muitos", disse um policial. A lei afirma que os produtos de contrabando devem ser destruídos.
Dezenas de restaurantes servem carne gato em Hanói, onde é pouco frequente observar algum felino livre nas ruas, já que os proprietários temem roubos. A carne de cachorro também é muito apreciada.
A alfândega confisca regularmente grandes quantidades de animais mortos, incluindo tigres, que também são utilizados na medicina tradicional vietnamita.
(Foto: AFP)(Foto: AFP)
Fontes: AFP/Yahoo Notícias

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

NA IRLANDA O BURRO É TRATADO COMO REI, EM APODI É IGUARIA E EM ALGUMAS CIDADES DO BRASIL A BURRA É TRATADA COMO RAINHA!

Na Irlanda o burro é tratado como rei, à burra como rainha, existe até um santuário Donkey’s Sanctuary, mas em Apodi a solução pragmática foi virar iguaria para os presos. Pois bem, aqui em Carnaúba no passado à burra tinha todo um ritual, presentes não faltava para agradar a bichinha, uma época difícil onde mulher mesmo só tinha quando era festa de padroeiro e os bordéis eram motéis calangos. Pois bem, cada um com seu gosto, ainda bem que a comida jumenta, ou os jumenteiros pelo menos cessou! Mas em vários estados e nos Estados Unidos a quem aprecie a moça do pé redondo e teve um que contestou à Lei contra zoofilia. Brincadeiras à parte, veja a diferença de ideias de país de primeiro mundo para o Brasil, livrar-se do burro parece que é pragmático, um problema a menos nas estradas. É triste ver um animal que ajudou tanto o homem do campo na panela para alimentar presos. 

Página Donkey Sanctuary veja como os jumentos são tratados, página em Inglês, ONG Irlanda. 

Pensam que é só Brasileiro? 

‘Apaixonado por jumenta’ diz que lei que proíbe zoofilia é inconstitucional. (link) 

Enquanto isso em APODI, RN Brasil...G1/RN Me perdoe à franqueza, mas qualquer comparação com à Irlanda é retrocesso. 

Vale lembrar, zoofilia além de ser crime, foi comprovado que a prática leva ao câncer de pênis. Sendo assim, Deus ao invés de criar a mulher para ser companheira do homem teria criado uma jumenta, né mesmo?


sábado, 8 de março de 2014

Promotor propõe carne de jumento na alimentação de presos do RN

Sílvio Brito, da Promotoria de Apodi, promoverá almoço de degustação.
Ideia surgiu para dar destinação a 600 animais apreendidos nas estradas.

Felipe GibsonDo G1 RN

Jumentos recolhidos em estradas pernambucanas são levados ao Parque Ecológico (Foto: Odacy Amorim/ Arquivo pessoal)Cerca de 600 jumentos recolhidos em estradas estão em fazenda de Apodi (Foto: Odacy Amorim)
Carne de jumento no cardápio dos detentos do sistema penitenciário do Rio Grande do Norte. É o que propõe o promotor Sílvio Ricardo Brito, da 2ª Promotoria de Apodi, cidade do Oeste do estado, para dar uma destinação aos cerca de 600 animais apreendidos nas estradas federais que passam pela região. A proposta será pauta de um almoço marcado para a próxima quinta-feira (13), oportunidade na qual autoridades convidadas experimentarão pratos com carne de jumento. "Vão comer e saber que é uma alimentação saudável", diz o promotor.

Promotor Sílvio Brito é o autor da proposta de que presos consumam carne de jumento no RN (Foto: Cedida/Arquivo Pessoal)Sílvio Brito explicou ao G1 que a ideia surgiu após reuniões com professores do curso de Veterinária da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa). "Chegamos à conclusão que uma das soluções para a questão dos animais apreendidos é estimular o consumo da carne de jumento. Os veterinários atestaram que o alimento é próprio para o consumo humano. Não é consumido por uma questão cultural. Queremos quebrar essa barreira", conta.

A ideia de inserir a carne no cardápio do sistema penitenciário será colocada após o primeiro momento de degustação. "Dependendo da receptividade quem sabe depois podemos expandir para a merenda escolar e nos hospitais", propõe Brito. Estão convidados para o almoço prefeitos, vereadores, promotores, juízes, representantes da comunidade e diretores de unidades prisionais de Caicó, na região Seridó, além de Pau dos Ferros, Mossoró e Apodi, na região Oeste.

O promotor acrescenta que tudo começou em uma audiência pública realizada no ano passado para tratar a questão dos animais nas estradas. A partir de um trabalho com as polícias rodoviárias federal e estadual formou-se uma entidade que recolheu até o momento 600 animais nas rodovias. Os bichos ficam alojados em uma fazenda da Associação de Proteção de Animais de Apodi.

"Destinamos mais de R$ 30 mil em prestações pecuniárias de condenações judiciais para comprar medicamentos, alimentos e montar a infraestrutura das unidades, mas o custo tem cada vez mais aumentado. Daqui para o meio do ano a estimativa é que estejam alojados mil jumentos e no fim do ano dois mil animais", conclui o promotor

.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Trio que “vendia coxinha de carne humana” não tem problemas mentais, diz laudo médico

canibais  de GaranhunsDe acordo com a polícia, a carne dos corpos das vítimas era fatiada, guardada na geladeira e consumida pelo trio.
Um laudo técnico atestou que os três acusados de crimes de canibalismo em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, ocorridos no ano passado, não têm problemas mentais. Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, Isabel Cristina da Silveira e Bruna Cristina Oliveira da Silva foram avaliados pelo Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico, em Itamaracá, na Região Metropolitana do Recife, a pedido do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). Os laudos foram solicitados em dezembro de 2012 pela juíza Maria Segunda Gomes, emitidos na última quarta-feira (20) e entregues à Justiça na sexta (22).
Com o laudo, o TJPE confirma que os réus passam a ser imputáveis, ou seja, respondem pelos atos que cometeram. Os crimes foram descobertos em abril do ano passado. Pelo menos três mulheres foram encontradas mortas, enterradas em quintais de casas de Garanhuns e Olinda. Os três permanecem presos e ainda não foi marcada a data do julgamento.
Em outubro do ano passado, houve a primeira audiência de instrução e julgamento do trio em Olinda. Na cidade, eles respondem por três crimes: homicídio quadruplamente qualificado, vilipêndio (violação) e ocultação de cadáver. A vítima é Jéssica Camila da Silva Pereira, no ano de 2008. O trio também responde por duas mortes em Garanhuns, no Agreste do estado. Todos os homicídios têm traços de violência, canibalismo e rituais macabros.
Entenda o caso
O inquérito relata que Jéssica Pereira era moradora de rua, tinha 17 anos, uma filha de um ano e aceitou viver com os acusados. Eles planejaram ficar com a criança depois de matar a mãe. Em Garanhuns, as vítimas foram Giselly Helena da Silva, 31 anos, e Alexandra Falcão da Silva, 20 anos, mortas, respectivamente, em fevereiro e março do ano passado.
De acordo com a polícia, a carne dos corpos das vítimas era fatiada, guardada na geladeira e consumida pelo trio. A criança, inclusive, também teria comido da carne da mãe. Eles teriam até utilizado parte da carne das vítimas para rechear coxinhas e salgadinhos que vendiam em Garanhuns.
Os acusados afirmam fazer parte da seita Cartel, que visa a purificação do mundo e o controle populacional. A ingestão da carne faria parte do processo de purificação. O caso veio a público depois que parentes de Giselly Helena da Silva denunciaram o seu desaparecimento. Os acusado usaram o cartão de crédito da vítima em lojas de Garanhuns e foram localizados. Uma publicação contendo os detalhes dos crimes – registrada em cartório – foi encontrada na casa dos réus. Para a Polícia Civil de Pernambuco, não há possibilidade de outras mortes terem sido praticadas pelo trio no estado.
Fonte: Texto extraído do blog  Montanhas em Ação

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Mercado norueguês troca carne por pedaços falsos do corpo humano

Reprodução/Twitter
Uma pegadinha de Halloween acabou repercutindo muito negativamente para uma rede de supermercados da Noruega. A Europris resolveu brincar e, no lugar das carnes de animais, deixou embalados pedaços falsos de corpo humano.

Leia também:

“É uma vergonha que o Halloween, uma tradição americana, seja imposta dessa maneira, empurrada guela abaixo", afirmou Mona Urfjell, cliente da Europris, ao Daily Mail.
Pelas redes sociais, a Europris foi bombardeada de críticas, principalmente de pais de crianças que se assustaram com os pedaços de mãos e rostos que substituiram as carnes.
Diante de toda a repercussão negativa, a Europris se desculpou e assumiu que a brincadeira foi desmedida.
Fonte: Yahoo Notícias

sábado, 9 de março de 2013

DILMA: CARNE DE BOI VAI BARATEAR 9,25%

Mais uma medida eleitoreira, anunciada em cadeia de rádio e televisão, pela presidente Dilma.  Diante do alarmante índice de inflação no setor de alimentos, no mês de janeiro de 2013, em 14,5%, a presidente resolveu desonerar o restante dos produtos da cesta básica. Muitos já sofriam desonerações. Se os empresários repassarem integralmente a desoneração na ponta do consumo, isto repercute no IPCA, cerca de 0,3% segundo analistas.  Lembrando que IPCA de janeiro foi de 6,5%.

Segue o que foi noticiado na imprensa, porque não sou mídia e portanto não tenho correspondentes que recebam os release do Palácio do Planalto e de outros órgãos do governo federal, por mim.  Na sequência segue os meus comentários.

Em pronunciamento de 11 minutos em cadeia nacional de rádio e TV por ocasião do Dia Internacional da Mulher, a presidente Dilma Rousseff anunciou, nesta sexta-feira (8), zerar os impostos federais que incidiam sobre a cesta básica e reformulá-la, inserindo materiais de higiene pessoal, limpeza e alimentos, segundo ela, "de maior valor nutritivo". Fonte: Folha.


"A estabilidade da economia é fundamental para todos nós. Mas é por isso também que não deixo de buscar sempre novas formas de baratear o custo de vida dos brasileiros e de proteger o seu poder de consumo e os seus direitos de consumidor", disse. Fonte: Folha.

"Foi assim que baixamos os juros para os mais baixos níveis da nossa história. Foi assim que reduzimos, como nunca, a conta de luz de todos os brasileiros. É assim agora que acabamos com os impostos federais na cesta básica para reduzir o preço dos alimentos e dos produtos de limpeza", completou. Fonte: Folha.

"Conto com os empresários para que isso signifique uma redução de pelo menos 9,25% no preço das carnes, do café, da manteiga, do óleo de cozinha, e de 12,5% na pasta de dentes, nos sabonetes, só para citar alguns exemplos", disse a presidente. Alimentos como leite, feijão, arroz, farinha de trigo ou massa, batata, legumes, pão e frutas já não sofriam tributação. Fonte: Folha.

A presidente Dilma Rousseff afirmou, que a defesa do consumidor será uma "política de Estado". Sem entrar em detalhes, declarou que criará mecanismos para agilizar demandas e torná-las mais efetivas. A ideia, segundo ela, é fiscalizar com "mais rigor", aplicar multas "mais adequadas" e cobrar mais transparência. Fonte: Folha.

Do blog:

Quanto às desonerações, tudo OK.  A medida deveria ter sido tomada por governos anteriores, incluindo FHC, para não ser injusto.  De qualquer forma, estranho governo que se diz socialista, não ter tomada a medida nos 10 anos no poder.  Por que só agora? A medida, cheira objetivo eleitoreiro, visando eleições de 2014.  Vá lá, assim mesmo, a medida é positiva. Mas, assim mesmo vou conferir, hoje, se a carne de boi e óleo de cozinha vão custar 9,25% mais barato que ontem, como prometeu a Dilma.

Quanto ao segundo item, a de considerar a defesa do consumidor "política de Estado" é de no mínimo "ridículo".  As maiores demandas de reclamações são sobre telecomunicações, plano de saúde e sistema bancário.  Que "política de Estado" é esse, que as agências e instituições reguladoras dos serviços mencionados, hoje, já responsáveis pelos cumprimentos das normas, não fazem quase nada à favor do consumidor?  Uai, se virar "política de Estado" vai mudar alguma coisa? Tenho minhas dúvidas.

Dilma afirmou que carne de boi vai custar 9,25% mais barato, à partir de hoje. Vamos conferir?


Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Recomendo a leitura BLOG DO OSSAMI SAKAMORI

sábado, 22 de setembro de 2012

Venda ilegal de carne de rato em Londres atinge níveis “chocantes”


Uma quantidade "chocante" de carne de rato sem segurança sanitária está sendo vendida de ilegalmente em mercados de Londres, segundo reportagem da agência de notícias BBC. Repórteres disfarçados descobriram que carnes de ovelha, bode e até rato são vendidas fora dos parâmetros de higiene em mercados da capital inglesa.
Um rato africano conhecido como roedor de grama, originário da África, é comercializado ilegalmente no mercado de Ridley Road. A carne de rato é muito popular em países como Gana, Índia e Tailândia. Esses são os principais destinos da carne comercializada ilegalmente em Londres.
Mas essa não é a primeira vez em que esse tipo de comércio é encontrado. A própria BBC admite que o comércio ilegal de carne é um problema persistente para as autoridades inglesas. Uma reportagem de 2009 do jornal Independent mostrou que cerca de 10 toneladas de carne ilegal são comercializadas todo dia em Londres. (vi no Huffington Post)

Fonte: Vi na Internet blog
Foto: Reprodução